• Category : SERVIÇOS

Planejamento arquitetônico

Planejamento antes de tudo! Normalmente o arquiteto só começa a trabalha quando o local, o tipo e o custo de uma edificação foram determinados pelo cliente.

Alguns tipos de Projetos Arquitetônicos:

  • Residencial
    • Habitação
  • Varejo
    • Centro de Varejos
    • Shoppings
  • Comercial
    • Centros de Negócios
    • Conjuntos de Escritórios
  • Cívico
    • Parques
    • Praças Públicas
  • Saúde
    • Conjuntos Hospitalares
    • Centros de Saude
    • Consultórios
  • Educação
    • Escolas
    • Universidades
    • Centros de Treinamentos
  • Industrial
    • Pesquisa e Produção de Equipamentos
  • Transporte
    • Terminais Aéreos, marítimos e ferroviários
  • Lazer
    • Resorts em Praias
    • Parques de Aventura
  • Misto
    • Novos Bairros
    • Cidades
    • Ampliações
    • Renovação Urbana

A importância de um planejamento e projeto arquitetônico em qualquer que seja a obra é fundamental.
É mais complicado e custoso implementar alterações em etapas posteriores do que no início do projeto;
Os custos operacionais e de manutenção de uma edificação superam os custos da construção.

Um exemplo disso o DECRETO Nº 9.296, DE 1º DE MARÇO DE 2018, regulamentou a o art. 45 da Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015 com isso os Hotéis, pousadas e similares devem ser construídos observando-se os princípios do desenho universal, além de adorar todos os meios de acessibilidade, conforme a legislação em vigor.

Algo que poderia ter sido realizado e não foi feito torna-se um custo para a sua adaptação.

Fases do processo de desenvolvimento

O processo se divide em três fases básicas: Planejamento, Projeto e Execução. Os arquitetos são mais ativos nas duas primeiras fases, mas continuam a atuar na seguinte como o planejador e demais membros da equipe principal.

Fase de Planejamento

Esta fase determina o contexto estratégico do projeto, recolhendo informações relacionadas aos cinco postulados – ambiental, tecnológico, econômico, político e social. A equipe de projeto racionaliza essas informações juntamente com o programa de necessidades e plano diretor a fim de definir as metas iniciais e estabelecer a estrutura que orientará a preparação do plano geral durante a fase seguinte.

Apresentação para o cliente

Depois de concluído, o documento será apresentado ao cliente para avaliação. Os detalhes do programa estarão sujeitos a alterações: levantamentos podem esta à espera de autorização, por exemplo, ou ainda incompletos. Informações negligenciadas podem aparecer e originar novos problemas. Essas novas informações devem ser incorporadas ao programa assim que possível. Espera-se que o programa tenha uma natureza mutável, e o cliente deve estar ciente desse fato e de suas causas.

Fase de Projeto

Este é o início da fase de planejamento do sítio (local). Mais uma vez a equipe se envolverá nas questões ambientais e tecnológicas. Os elementos estruturais nem sempre são evidentes desde o início, mas precisam ser definidos. Uma vez que as mais diversas variáveis faz-se, então, um procedimento de testes e aperfeiçoamentos, até que a versão final do projeto arquitetônico fique pronta.

Fase de Execução

A execução trata de como o novo empreendimento se dará no sítio.  O projeto executivo e o memorial descritivo são os principais documentos que definirão o escopo da obra pra quem o executará.

Assim, o planejamento é o processo de particularizar e, em última análise, harmonizar as demandas de meio ambiente, uso e economia. Esse processo tem um valor tanto cultural quanto utilitário, pois ao criar um plano para qualquer atividade social, o arquiteto inevitavelmente influencia a maneira pela qual essa atividade é realizada.

Planejando o meio ambiente

O ambiente natural é ao mesmo tempo um obstáculo quanto uma ajuda, e o arquiteto procura aproveitar os benefícios e repelir os obstáculos. Para tornar os edifícios habitáveis ​​e confortáveis, ele deve controlar os efeitos do calor, frio, luz, ar, umidade e secura e prever potencialidades destrutivas como fogo, terremoto, inundação e doenças.

Os métodos de controle do ambiente aqui considerados são apenas os aspectos práticos do planejamento. Eles são tratados pelo arquiteto dentro do contexto dos aspectos expressivos. A colocação e a forma dos edifícios em relação aos seus locais, a distribuição dos espaços dentro dos edifícios e outros dispositivos de planejamento discutidos abaixo são elementos fundamentais na estética da arquitetura.

Orientação

O arranjo dos eixos dos edifícios e suas partes é um dispositivo para controlar os efeitos do sol, do vento e chuva. A orientação pode controlar o ar para circulação e reduzir as desvantagens do vento, chuva, já que na maioria dos climas as correntes predominantes podem ser previstas. As características do ambiente imediato também influenciam a orientação: árvores, formações de terra e outros edifícios criam sombra e reduzem ou intensificam o vento, enquanto corpos de água produzem umidade e refletem o sol.